Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

Tradições de Vila do Conde - Mastros de São João

Durante muitos anos, o levantar dos Mastros de São João foi uma tradição forte em Vila do Conde. Ao contrário dos mastros de outras culturas (o Brasil mais ligado aos Santos Populares e os países nórdicos mais ligados à abundância e fertilidade), os de Vila do Conde espelham sempre um bocadinho de cada uma das freguesias do concelho.

Infelizmente, a tradição esfriou um pouco mas de há 3 anos para cá, o Executivo de Eliza Ferraz juntou-se aos vários Presidentes de Junta e os Mastros de São João regressaram.

Estes são os Mastros de São João de 2017:

 

(cliquem nas setas para percorrer a galeria)

 

Por ordem de publicação: Modivas, União de Freguesias de Vilar e Mosteiró, União de Freguesias de Arcos e Rio Mau, União de Freguesias de Retorta e Tougues, União de Freguesias de Malta e Canidelo, União de Freguesias de Fornelo e Vairão, União de Freguesias de Bagunte, Parada, Ferreiró e Outeiro Maior, Vilar do Pinheiro, Vila do Conde, Vila Chã, União de Freguesias de Touguinha e Touguinhó, Mindelo, Macieira, Labruge, Junqueira, Guilhabreu, Gião, Fajozes, Azurara, Aveleda e Árvore.

 

Paulo Baldaia no "Sempre em Pé"

Estou numa daquelas semanas que preciso urgentemente de rir. Pressentimentos negativos, stress acumulado, cansaço...

Acho que vou agarrar no Youtube e fazer maratona de vídeos do "Sempre em Pé"...

O vídeo de hoje é de alguém da velha guarda do Stand Up. Curiosamente, deu os primeiros passos nessa vida com o Rui Xará.

Hoje, dou a palavra ao Paulo Baldaia!

 

Only a Man - Shout!

 "The world became a darkened place
A struggle without end
Although bitter times those were
The days that I began
To understand, I was only a man"

 

Quando a Mãe Natureza resolve mostrar o seu poder, a Humanidade começa a perceber o quão fraca é. Pedrogão Grande foi um desses exemplos. No espaço de segundos, dezenas de pessoas no desespero por segurança viram-se encurraladas, completamente submissas à força dos elementos, a ver a morte chegar a uma velocidade galopante.

Grande parte dos portugueses deitaram-se no sábado com o relato de uma tragédia sem igual e acordaram no domingo com uma tragédia bem pior. Todo um país, todo um continente recebeu o abalo dos números que iam aparecendo. Mais do que um murro no estômago, todo aquele cenário desolador de carros e floresta calcinados são uma marretada no estômago.

Com estes cenários de incêndios, percebemos que a Humanidade é também capaz do pior e do melhor. Somos capazes de atear os incêndios e ao mesmo tempo olhamos sempre por quem mais precisa. Apoiamos os nossos Bombeiros, damos de comer e o que vestir a quem ficou sem nada.

 

Fundados em 1995, os Shout! são uma banda portuguesa que começou por ser exclusivamente voltada para a música Gospel. É composta atualmente por 1 tenor (Ricardo Quintas), 2 barítonos (Ricardo Mimoso e Jorge Dias), 4 contraltos (Luciana de Jesus, Patrícia Silveira, Paula Pires e Tânia Tavares) e 4 sopranos (Patrícia Antunes, Cátia Ribeiro, Filipa Reis e Sofia Rodrigues). Com 4 álbuns gravado, entre eles um CD e DVD gravado no CCB, em Lisboa, os Shout! têm vindo a solidificar a sua presença no panorama da música portuguesa através de colaborações com diversos artistas de renome e da reinvenção das suas sonoridades, com misturas entre o gospel tradicional, as novas tendências do gospel e a música pop.

Good Bye Lenin!

goodbye-lenin-1

 Realizador: Wolfgang Becker

Ano: 2003

 

Alex Kerner (Daniel Brühl) cresceu numa Alemanha e numa cidade de Berlim dividida em dois. De um lado, a RFA e o capitalismo; do outro, a RDA e o comunismo. Aquando da comemoração dos 40 anos da RDA, Alex junta-se a uma manifestação contra o governo. No momento em que a polícia se preparava para reprimir a manifestação, a sua mãe, Christiane (Katrin Sass), vê Alex no meio da confusão. Ela, acérrima defensora do regime socialista, entra em choque ao ver o próprio filho contra as suas crenças e sofre um ataque cardíaco que a deixa em coma.

Durante esse coma, muita coisa muda em Berlim e na Alemanha. O Muro de Berlim cai, o processo de reunificação da Alemanha tem o seu "pontapé de saída" e o capitalismo invade a até então Alemanha Socialista. Oito meses depois, Christiane acorda num estado muito frágil de saúde. Por ordem expressa do médico para não provocar novas emoções fortes na mãe, Alex vê-se obrigado a montar uma grande mentira a partir do quarto da mãe de maneira a que, para ela, nada tenha mudado.

 

Carlos Moura no "Sempre em Pé"

Já falei em outros posts sobre o Carlos Moura. Foi dos primeiros comediantes de Stand Up que que agarraram para este lado do humor. Sarcástico sem ser demasiado ríspido, inónico sem ser convencido, divertido sem ser demasiado vulgar.

De todos os sets que o Carlos Moura levou ao programa, este até não é o meu preferido. A seu tempo eu o trarei.

Ao ir buscar aquele primeiro vídeo do "Sempre em Pé", abri uma verdadeira caixa de Pandora. Mas vocês ainda se lembram que veio cá o Rafinha Bastos, um dos comediantes mais conhecidos do Brasil??

Mas para se rirem um bocadinho, fica aqui o homem que hoje em dia ganha a vida a coordenar o programa da Fátima Lopes.

 

 

BTT - Do outro lado

O que é que os teus amigos não-leitores pensam dos teus hábitos de leitura? Entendem, são solidários ou estão sempre a tentar que "largues o livro"?

Felizmente, todos os amigos não-leitores que tenho respeitam e aceitam bem esta minha faceta de leitora. Até porque eu faço por também os respeitar por serem não-leitores. Por exemplo, se estou numa roda de amigos, e por muito bom que seja o livro que esteja a ler, não vou pura e simplesmente puxar do livro e ignora-los. Há alturas e lugares para tudo, não é verdade?

 

Uma ideia original do blog Booking Through Thursday

Rui Xará no "Sempre em Pé"

Só para rir um bocadinho, fica em excerto da participação do "meu" querido Rui Xará no programa Sempre em Pé, um conceito que existiu há cerca de 9, 10 anos na RTP2, quando alguém ainda arriscava passar comédia e humor na TV.

Um dia destes, com outro vídeo dele, ainda vos faço uma pequena biografia dele.

 

Um Crime à Minha Porta - Ornatos Violeta

"Qual dor
Eu só faço o que eu quero
Eu não penso em ninguém
Por pensar
Meu nome é partir
E voltar"

 

Ornatos Violeta são, definitivamente, a banda que mais me viciou até hoje. Das letras completamente politicamente incorrectas do "Cão!", o 1º álbum, às letras mais poéticas e sonoridades mais melodiosas d' "O Monstro Precisa de Amigos", a banda consegue agarrar-me de uma maneira inexplicável. "Rádio-com-um-volume-alto" tipo de inexplicável. "Cantar-com-a-música-bem-alto" tipo de inexplicável.

Ornatos foram uma banda que fizeram música pelo simples prazer de fazer música. Quando a fama começou a bater à porta, desfizeram a banda. Mas a pouca música que deixaram gravada anda sempre atrás de mim.

 

 

 

Os Ornatos Violeta surgiram em 1991 no Porto. Nos primeiros 6 anos de existência da banda, as suas músicas com influências de Rock Alternativo, Ska e mais tarde Jazz foram apenas incluidas em colectâneas musicais. A banda só gravou "Cão!" em 1997, um álbum muito aclamado pela crítica pelas sonoridade irreverentes e estilo de escrita das letras. O álbum seguinte, "O Monstro Precisa de Amigos", é lançado em 1999 e mostra já um cuidado diferente nos arranjos e nas letras, contando com as participações do fadista Vitor Espadinha e do vocalista dos Violent Femmes, Gordon Gano. Nesse mesmo ano, os Ornatos Violeta fazem uma cover de "Circo de Feras" para o álbum "XX Anos, XX Bandas" para comemoração dos 20 anos de carreira dos Xutos e Pontapés. Os Ornatos separaram-se em 2002, só se voltando a reunir para 3 concertos, Paredes de Coura e Coliseus de Porto e Lisboa.