Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

This Is Me in a Nuttshell

11
Mar17

Sem Sangue

alessandro baricco.jpg


Autor: Alessandro Baricco


Editora: Biblioteca Sábado


Ano: 2009


 


 Num periodo pós-guerra, Manuel Roca, um médico, refugiou-se numa quinta com os dois filhos. Quando sente que andam atrás dele, prepara com o filho a defesa da casa e esconde a filha, Nina, num alçapão coberto com cestas de fruta.



"Gostava de estar assim. Sentia a terra, fresca, debaixo do flanco, a protejê-la - não podia traí-la. E sentia o próprio corpo recolhido, fechado sobre si próprio como uma concha - gostava de o sentir -, era casca e animal, abrigo de si própria, era tudo, era tudo ara si própria, ninguém poderia fazer-lhe mal enquanto continuasse naquela posição - reabriu os olhos, e pensou Não te mexas, és feliz" (pág. 19)



Nina assiste a tudo pelas frinchas do soalho. O relato daqueles momentos é violento e assustador. O ódio que se sente em cada palavra gritada está mais do que presente.


Anos depois, Nina encontra-se com o dono de um quiosque, um homem já velho. Era Tito, o rapaz que naquele dia lhe poupou a vida. Sentados numa mesa de café, Nina tenta perceber o porquê de tudo o que aconteceu. Mas o relato desses momentos é confuso. Baricco salta constantemente de plano, de personagens. Ora foca-se em Nina, ora passa para Tito, para quem os vê dentro do café.



"Então pensou que, incompreensível que a vida seja, provavelmente a atravessamos com o único desejo de regressar ao inferno que nos gerou, e de habitar ao lado de quem, uma vez, nos salvou desse inferno." (pág. 154)



O final é inesperado. Com o encontro de Nina e Tito, poderia achar-se que a vingança iria tomar ali forma. Baricco surpreende-nos ao dar uma moralidade diferente ao enredo. Mostra-nos que mesmo com as adversidades da vida, é possível perdoar e avançar.

O que estou a ler?


goodreads.com

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Comentários recentes

  • Isabel Maia

    Acho que esse é um caso comum nos momentos de paus...

  • Maribel Maia

    A opção de escolha, não muda muito no verão, leio ...

  • Isabel Maia

    Também gosto muito. Torga tem uma escrita que me a...

  • mariali

    Bela reflexão. Parabéns!Gosto de Miguel Torga.

  • Isabel Maia

    Tens toda a razão, as noites de Tv não vão ser as ...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

subscrever feeds