Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

This Is Me in a Nuttshell

30
Abr17

Conquista

Livre não sou, que nem a própria vida
Mo consente.
Mas a minha aguerrida
Teimosia
É quebrar dia a dia
Um grilhão da corrente.

Livre não sou, mas quero a liberdade.
Trago-a dentro de mim como um destino.
E vão lá desdizer o sonho do menino
Que se afogou e flutua
Entre nenúfares de serenidade
Depois de ter a lua!




Miguel Torga, in 'Cântico do Homem'

28
Abr17

A Walk To Remember

A_Walk_to_Remember_Poster.jpg


 Realizador: Adam Shankman


(adaptação do livro de Nicholas Sparks)


Ano: 2002


 


Landon (Shane West) é um jovem rebelde e irresponsável. Por causa de uma brincadeira de mau gosto a um colega que quase o deixa paraplégico e também pelas suas más notas, o diretor da escola obriga-o a participar na peça de teatro da escola.


Durante os ensaios, Landon aproxima-se de Jamie Sullivan (Mandy Moore), a filha do Reverendo Sullivan (Peter Coyote), o pastor da Igreja Baptista da cidade. Jamie é uma menina "certinha", sempre disposta a ajudar toda a gente. Ela é também a protagonista da peça e näo se importa de ajudar Landon a ensaiar para a peça mas com uma condição. Landon não podia ter sentimentos nenhuns por ela.


Mas como no coraçãp não se manda, Landon acaba por se apaixonar por ela, fazendo com que Jamie revele o seu segredo: está muito doente e com pouco tempo de vida. Por isso, Landon faz os possíveis para lhe proporcionar momentos felizes, bem como cumprir os seus sonhos de criança.


 


27
Abr17

BTT - Uma introdução a géneros



Conheci um homem que lia sobre a Segunda Guerra Mundial. Ele lia tudo o que conseguia encontrar sobre o tema. Tinha uma estante inteira só com livros sobre a Segunda Guerra Mundial. Isso fascinou-me. Como era possivel ele continuar a achar o tema tão interessante? A minha mãe, por outro lado, adora ler best-sellers. Conheço gente que lê ficção científica em detrimento de tudo o resto. Para outros é filosofia, auto-ajuda ou até história.


Por isso, as minhas perguntas são: Que tipo de livros gostas de ler e porquê? Dá exemplos!



 


 


Quem me conhece, literariamento falando, sabe que a minha perdição vai para os Romances Históricos. Gosto de História, mais da de Portugal do que da Mundial (as minhas notas que o digam...). Por isso, os livros que me dão uma visão daquilo que teria sido a vida de uma personagem histórica que aprecio ou um momento histórico sob o qual tenho curiosidade agradam-me.


Por exemplo, gosto de livros relacionados com a época medieval por ser um momento que não deve ser ignorado sob pena de se ver aqueles vícios perpetuados no tempo. Gosto de livros relacionados com momentos-chave da História Portuguesa como a Inquisição ou o Estado Novo. Gosto de livros que falem da Rainha Santa Isabel e de Inês de Castro, por muito que já se tenha escrito e ficcionado sobre elas. Gosto de livros que falem de periodos antigos de cidades como o Porto, como escreve Júlio Dinis, ou Barcelona, como escreve Carlos Ruiz Zafón.


 


Uma ideia original do blog Booking Through Thursday

26
Abr17

Um Momento Inesquecível

Um-Momento-Inesquecivel.jpg


 Autor: Nicholas Sparks


Editora: Editorial Presença


Ano: 2004


 


London é um rapaz de 17 anos. O pai é um homem conhecido, membro do Congresso Americano, o que faz com que Landon seja um jovem com posses, muito popular, com alguns vícios e maus hábitos. As notas não são as mais famosas mas por "ideia" do pai, candidata-se à presidência da associação de estudantes porque isso ficaria bem no currículo. Também por causa das notas, Landon increve-se nas aulas de teatro. Para esse ano, a peça a levar à cena seria a escrita pelo Rev. Sullivan, e a protagonista obviamente seria a filha, Jamie. 



"Era, por outras palavras, o tipo de rapariga que nos fazia parecer maus, e sempre que ela olhava para mim, não podia deixar de me sentir culpado, mesmo que não tivesse feito nada de errado." (pág. 25)



Jamie era diferente de todas as outras raparigas da escola. Em vez de calças de ganga ou minissaia, Jamie preferia a sua saia por baixo do joelho em xadrez e a sua camisola castanha. Em vez de ir para o café ou às compras, passava o seu tempo livre com as crianças do Orfanato da cidade. A sua Bíblia, um livro muito especial, era como se fosse a sua melhor amiga, acompanhando-a para onde quer que fosse. A sua simpatia era alvo da chacota de toda a gente na escola.


O outro protagonista da peça acabou por ser Landon e com o avançar dos ensaios, e contrariamente aos desejos dela, os dois começam a aproximar-se ao ponto de declararem os sentimentos que tinham um pelo outro. Mas Jamie esconde um segredo que deixa Landon sem reacção numa primeira fase. Passado o choque inicial, Landon promete a si próprio, mas também ao pai dela, que tudo fará para a fazer feliz, seja por muito ou por pouco tempo.



"Se Jamie me ensinara alguma coisa durante aqueles ultimos meses, foi que era através dos actos - não dos pensamentos ou das intenções - que se julgavam os outros, (...)." (pág. 144)



Apesar de ser um livro marcadamente voltado para o romance, neste caso um romance de adolescente, existe no enredo mensagens bem mais densas do que um simples "namorisco" de miúdos. Uma é a Fé. Todos nós, em algum momento da vida, nos questionamos sobre aquilo que poderá ser o destino ou os desígnios de Deus, como tantas vezes a Jamie evocava. Aqueles eventos já estariam "escritos" ou somos nós que traçamos o nosso próprio caminho? A outra está relacionada com as diferenças entre as pessoas e a aceitação entre elas. Tomos somos diferentes e ninguém tem o direito de menosprezar quem quer que seja só porque não pensam, ajem ou se parecem como nós. Isso faz também reflectir até que ponto essas mesmas diferenças são factores de aproximação entre as pessoas. Será que a velho ditado que diz que os opostos atraem-se é mesmo verdade ou para que duas pessoas de personalidades diferentes se possam entender é preciso mais do que mera atracção? São linhas que nos deixam a refletir...

25
Abr17

Capitães de Abril

Capitães_de_Abril_2000.png


Realizador: Maria de Medeiros


Ano: 2000


 


Vive-se a noite de 24 para 25 de Abril de 1974. Antónia (Maria de Medeiros) é uma professora universitária de Literatura com ideais contrários aos do regime do Estado Novo. Alguns dos seus alunos também o são, o que leva à prisão de alguns deles pela PIDE.


Ao mesmo tempo que Antónia tenta saber do paradeiro de um deles, em vários quarteis da zona de Lisboa, um movimento militar prepara-se para avançar sobre a cidade e derrubar Marcello Caetano (Ricardo Pais), o então Presidente do Conselho, e com ele derrubar a ditadura. A ordem de marcha é dada por duas senhas: "E Depois do Adeus" de Paulo de Carvalho e "Grândola, Vila Morena" de Zeca Afonso.


À cabeça do movimento estão maioritariamente capitães, de onde se destacam Otelo Saraiva de Carvalho e Salgueiro Maia (Stefano Accorsi).


Pág. 1/5

O que estou a ler?


goodreads.com

Calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Comentários recentes

  • Isabel Maia

    Acho que esse é um caso comum nos momentos de paus...

  • Maribel Maia

    A opção de escolha, não muda muito no verão, leio ...

  • Isabel Maia

    Também gosto muito. Torga tem uma escrita que me a...

  • mariali

    Bela reflexão. Parabéns!Gosto de Miguel Torga.

  • Isabel Maia

    Tens toda a razão, as noites de Tv não vão ser as ...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

subscrever feeds