Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

This Is Me in a Nuttshell

28
Fev17

A Catedral do Mar

falcones.jpg


Autor: Ildefonso Falcones


Editora: Bertrand (11x17)


Ano: 2010


 



 " - A nossa será toda ao contrário; não será tão longa, nem tão alta, mas será muito larga, para que caibam todos os catalães, juntos diante da Virgem. Um dia, quando estiver acabada, poderás comprovar isso: o espaço será comum para todos os fiéis, não haverá distinções e como única decoração... a luz, a luz do Mediterrâneo. Nós não precisamos de outra decoração: só do espaço e da luz que entrará por ali (...). - Esta igreja será para o povo, não para maior glória de algum príncipe." (pág. 276/7)



No momento em que Barcelona procurava um novo templo, Berenguer de Montagut decidiu mudar o paradigma dessas grandes construções. Abandonou as grandes construções, as decorações ricamente trabalhadas, as expressões de riqueza e grandiosidade. Aquele templo iria marcar a diferença pelo estilo mas pelo modo como foi edificado. Desde o início que a sua construção foi muito assente na ajuda popular. Os bastaixos, simples carregadores do porto, traziam às costas desde a Pedreira Real as pedras para a estrutura. Todas as classes de trabalhadores tinham a sua participação em alguma fase da construção.


A tudo isto assistiu Arnau Estanyol. O pai, Bernat, e ele fugiram da sua pequena aldeia dominada pelo senhor de Navarcles, Llorenç de Bellera, numa Catalunha ainda vergada aos maus costumes medievais. O senhor tinha direito a deitar-se com a nova esposa do seu servo no dia do casamento. Tinha o direito de exigir que os servos trabalhassem sem remuneração nas suas terras. Tinha o direito de obrigar a esposa de um dos seus servos a amamentar os seus filhos. Ao saber que se ficassem em Barcelona sem serem denunciados durante 1 ano e 1 dia estaria livres, Bernat e Arnau contaram com a ajuda de Grau Puig, seu cunhado, um conhecido ceramista da cidade. Arnau cresceu e acompanhou a construção da casa da Virgem de la Mar, da sua mãe. Deu água aos bastaixos, carregou pedras tornando-se um deles, tornou-se cambista e financiou a construção.


Enquanto a catedral se erguia, a vida em Barcelona corria ora calma, ora tumultuosa. Convocavam-se hosts, declaravam-se guerras, cresciam e abafavam-se rebeliões, morria-se de fome e de peste negra. Tudo isto numa época obscura de fanatismo religioso e mentes fechadas.


É um lado da História que ninguém pode ignorar. Todo o ódio de cristãos para com os judeus. Todo o fanatismo criado pela Inquisição. Todas as atrocidades que os donos de terras cometiam com quem os servia. Todos os tratados que reduziam as mulheres a seres fracos e facilmente corruptíveis.



"- Em segundo lugar, porque as mulheres, por natureza, por criação, têm pouco senso comum e, em consequência disso, não existe freio para a sua malícia natural." (pág. 290)



E por fim, todas as descrições que nos arrepiam a alma. Os relatos de fome provocado pelos maus anos agrícolas, a mortandade provocada pela peste negra, o ecoar de um Via fora! e os repicar nos sinos por toda a cidade. Mas principalmente o relato do trabalho dos bastaixos, os mais privilegiados na organização da Catedral, os zeladores da capela mais importante do templo, homens que levavam às costas pedras com o dobro do seu tamanho com um sorriso na cara.

O que estou a ler?


goodreads.com

Calendário

Fevereiro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Comentários recentes

  • Isabel Maia

    Acho que esse é um caso comum nos momentos de paus...

  • Maribel Maia

    A opção de escolha, não muda muito no verão, leio ...

  • Isabel Maia

    Também gosto muito. Torga tem uma escrita que me a...

  • mariali

    Bela reflexão. Parabéns!Gosto de Miguel Torga.

  • Isabel Maia

    Tens toda a razão, as noites de Tv não vão ser as ...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens