Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

Os Amigos do Gaspar (1986 - 1989)

osamigosdegasparlogo02.PNG

 

 Quem pertence a uma faixa etária que vai dos 30 até aos 40 anos de certeza que alguma vez ouviu falar desta série de desenhos animados mítica, isso se não mesmo a viu na RTP. O estilo de desenho animado com marionetas ainda não era muito explorado em Portugal e a produção do programa deixou muita gente impressionada. E quem não consegue até aos dias de hoje trautear ou assobiar a melodia do genérico da série ou cantar o refrão do "É Tão Bom", cantado pelo Sérgio Godinho?

Passada numa qualquer cidadezinha portuguesa, tal como o nome indica, a série fala sobre o jovem Gaspar e os seus amigos. O Gaspar era, por assim dizer, o líder do grupo. O mais atinado, mais "crescido", mais pensativo sobre esse drama que era crescer. Com ele andava sempre o Manjerico, o ouricinho verde de linguagem estranha mas que toda a gente do grupo percebe. Romão é alegre, sempre cheio de energia e sonha ser um músico famoso. Já o Farturas é o oposto, sempre quieto no seu cantinho, muito na dele. A Clarinha é a menina "fofinha" do grupo, sempre pronta a mediar chatices entre os amigos ao passo que Marta "ferve em pouca água". Na segunda temporada, a Clarinha saiu do elenco e entraram 2 personagens infantis novas: o Pitágoras, o sobrinho do Prof. Fidebaque, e a Nita, irmã do Gaspar.

Se na primeira temporada, as personagens adultas se resumiam ao Prof. Fidebaque, o cientista maluco da cidade, e ao Guarda Serôdio, sempre mal disposto e a impor regras estapafúrdias no Parque, na segunda surgem mais alguns adultos no elenco. Aparece a Tia Felismina, dona da mercearia da cidade; o Sr. Pires, que conseguia ser ainda mais rezingão que o Guarda Serôdio e que aparece quase sempre nas cenas com um barrete de pijama; e o Neca, o ajudante da mercearia que não primava muito pelo gosto do trabalho.

 

Minha Vida Não Faz Sentido (2017)

Meus amigos, em pouco tempo eu tornei-me uma "coruja maluca". Devem estar a pensar "Hein?! O que é que esta quer dizer com isso?" Para quem está fora do universo Youtube, as "corujas" são os seguidores do canal do Felipe Neto.

O Felipe Neto é um criador de conteúdo Youtube do Brasil completamente doido, irreverente (a prova disso é aquele cabelo que já vai em quase 5 cores diferentes no último ano), em alguns momentos corrosivo e com uma língua de trapo que mete dó. Acreditem, pior que velha da Ribeira do Porto!

Uma das rubricas que fez mais sucesso no canal foi a "Não Faz Sentido", logo nos primórdios. A rubrica virou livro e o livro virou peça de teatro.

felipe-neto-minha-vida-nao-faz-sentido_80162210.jp

Olhando para trás, o Felipe procura perceber porque é que aquele personagem rezingão, que reclamava de tudo e aparecia em frente de uma câmara com um discurso raivoso fazia tanto sucesso. A resposta estava precisamente na raiva. O ser humano tem uma tendência inerente para se identificar com a raiva, com o ódio.

Ao percorrer o seu próprio percurso de vida, ele reflete também sobre algo que todos nós nos vamos identificar. A tendência também inerente do nosso cérebro ser o nosso pior inimigo. Essa função melga de ter um grilo falante na mente que diz "Esquece, isso vai dar asneira!", "Não vais conseguir", "Isso vai correr mal". O nosso cérebro tem sempre medo do desconhecido e por isso bloqueia as iniciativas para que sigamos os nossos sonhos. O conselho para enfrentar os medos e seguir os sonhos é simples e apenas um: dar uso ao belo do botão bem vermelhinho do "foda-se" (e desculpem lá o meu francês).

Mesmo com mais palavrões que os 3 filmes do Balas e Bolinhos juntos, vale a pena ver. É o género de peça que se encaixa na filosofia das sátiras clássicas do teatro, a rir é que se criticam os costumes. A rir é que as pessoas poem o dedo na ferida e abrem os olhos de outros para o sistema educativo que cria autómatos, para sociedades que vêm com preconceito quem está fora da norma (o texto sobre homofobia é brilhante), para a nova forma de relação em família.

 

Alias Temporada 1

51CTQ5VQ5AL.jpg

 Quem tem o vícios das séries sabe que certos produtores são sinónimo de programas de sucesso. J. J. Abrams é um desses nomes.

Alias estreou nos Estados Unidos em 2001 e a primeira temporada da série teve 22 episódios, tendo durando até 2002.

Sidney Bristow (Jennifer Garner) é uma estudante de Literatura insuspeita que um dia é abordada por alguém que se diz ser de uma divisão secreta da CIA, o SD-6. É treinada para missões de espionagem e, claro, tem que manter segredo quanto ao seu trabalho. Para Will Tippin (Bradley Cooper), o amigo jornalista, Francie (Merrin Dungley), a sua melhor amiga, e para Danny Hecht (Edward Atterton), o seu verdadeiro e super exigente emprego é num banco, o Credit Dauphine.

Com o pedido de casamento de Danny, Sidney não consegue manter a mentira e conta tudo a Danny. Quando o SD-6 descobre, Arvin Sloane (Ron Rifkin), o seu superior, dá ordens para que ele seja eliminado. Sedenta por vingança, Sidney recorre à verdadeira CIA para montar um plano para desmantelar o SD-6. Torna-se então uma agente dupla, trabalhando sob supervisão do Agente Michael Vaughn (Michael Vartan). O que Sidney não estava à espera é que dentro do SD-6 houvesse um outro agente duplo e alguém directamente ligado a ela: o pai, Jack Brostow (Victor Garber).

iZombie Temporada 2

Como vem sendo meu hábito, antes de começar o post, deixo umas breves notas sobre a premiere da temporada 3. Partindo directamente do cliffhanger desta temporada 2, nota-se completamente que a partir de agora vai ser um espírito de "nós contra eles", Team Z vs. os humanos.

Mas passando ao tema que me trás hoje, a 2ª temporada da série iZombie. Foi transmitida entre 2015 e 2016 e teve 19 episódios.

img

No final da temporada 1, Major Lilywhite pôs fim à operação de fornecimento de cérebros à comunidade zombie que funcionava na Meat Cute, a loja comandada por Blaine (David Anders). Os ferimentos que sofreu foram tais que Liv tomou a decisão de infecta-lo para o salvar.

Já Ravi conseguiu encontrar uma suposta cura para o "zombiísmo" mas o efeito secundário era que os "ex-zombies" seriam capazes de detectar outros zombies.

Para regressar à operação de fornecimento de cérebros, Blaine abre uma casa mortuária que lhe serve também como fachada a uma outra operação, o tráfico de Utopium, uma droga. Mas pelo caminho pisa nos calos do chefe do tráfico na cidade, Stacey Boss (Eddie Jemison).

Já na empresa Max Rager, o director Vaugh du Clark (Steven Weber) percebe que a nova bebida, a Super Max, está a criar novos zombies. Ao descobrir as novas habilidades de Major, Vaugh recruta-o para se "livrar" dos zombies, Liv incluída.

Bones (2005 - 2017)

ee73a7574a074e4748478c141390c90d.jpg

 Apesar de o último episódio da série ter sido transmitido nos Estados Unidos a semana passada, só consegui terminar a série esta semana. Foram 12 temporadas a acompanhar a parceria improvável entre a mente altamente metódica e científica da Brennan e o carácter intuitivo e prático do Booth.

Apesar de ser uma série claramente criminal com um lado processual, existe o lado de história que vai enriquecendo o enredo. Há o crime que se está a tentar resolver mas pelo meio há uma crise familiar ou há os normais problemas entre casais. Vimos perder algumas personagens queridas quando menos se esperava.

Mas não se pode negar que a personagem que mais cresceu foi a da Temperence 'Bones' Brennan (Emily Deschanel). Começou por ter um feitio muito ao estilo do Sheldon (The Big Bang Theory). Muito focada no intelecto, sem muitas pistas sobre a interacção social, capaz de dizer as coisas mais inconvenientes e sempre no momento errado. Com o avançar dos episódios foi tornando-se mais permeável aos pequenos truques da vida social, tornou-se uma mãe quase "galinha".

Mas para quem conhece pouco da série, aqui fica uma breve descrição do enredo:

A Dra. Temperance Brennan (Emily Deschanel) é uma conhecida antropóloga forense que se junta à equipa da Divisão Forense do Jeffersonian Institute em Washington D.C. A equipa é liderada pela Dra. Camille Saroyan (Tamara Taylor), uma médica legista que veio directamente de Nova Iorque. Com os conhecimentos de entimologia do Dr. Jack Hodgins (T.J. Thyne) e os de desenho forense e informática de Angela Montenegro (Michaela Conlin), o Jeffersonian Institute alia-se ao FBI para resolver os casos mais complicados pelos seus contornos ou pelas condições em que são encontradas as vítimas. Esse ponto de ligação é feito através do Agente Especial Seeley Booth (David Boreanaz), um ex-atirador fortivo que não raras vezes se rege pelo instinto para tomar as suas decisões.

iZombie Temporada 1

Mais uma das minhas séries preferidas que está de volta para uma nova temporada!

Comecei a ver isto por acaso, durante as férias da Alemanha. Percebi que era adaptado de uma banda desenhada mas entrei na onda da série sem ideias pré-definidas ou preconceitos. O que é certo é que fiquei agarrada. Ok, os zombies estão na moda mas estes zombies são diferentes

Isto começa por ter dedo na produção do Rob Thomas e quem já viu, por exemplo, Veronica Mars ou a nova versão do 90210 sabe que este senhor onde mexe, sai sucesso.

A primeira temporada teve apenas 13 episódios e decorreu durante 2015.

izombie-season-1-dvd-cover-26

Olivia 'Liv' Moore (Rose McIver) é uma médica residente num hospital de Seattle. Focada e super disciplinada, um dia decide ir a uma festa para descontrair um pouco. Nessa festa dá-se uma série de eventos estranhos e quando acorda, Liv está num saco para cadáveres transformada em zombie.

Com medo da sua nova condição, Liv afasta-se de todos, incluindo a família e o noivo, Major Lilywhite (Robert Buckley). Para se manter funcional, Liv precisa de cérebros e para isso, ela encontra o emprego que lhe fornece o alimento da forma mais insuspeita: ajudante na morge. O seu patrão, o Dr. Ravi Chakrabarti (Rahul Kohli), depressa percebe a condição de Liv e com o avançar da temporada ganha um novo interesse sobre a aparente doença.

Esta nova forma de viver de Liv vem com um pequeno senão: a cada novo cérebro que Liv come, ela adquire traços da personalidade do "dono", desde conhecimentos de informática à mentalidade de uma adolescente. Graças a essas memórias, Liv faz-se passar por psíquica para ajudar o Detective Clive Babineaux (Malcolm Goodwin) a resolver os casos por trás da morte dessas pessoas.

The Affair Temporada 3

The-Affair-Terceira-Temporada-3-Pôster-Showtime.j

 À semelhança das outras 2 temporadas, esta também foi uma temporada curtinha (10 episódios) e decorreu entre Novembro de 2016 e Janeiro de 2017.

No final da temporada 2 vimos Noah a assumir a culpa pela morte de Scott Lockhart e a ser condenado por isso. Após sair da cadeia, 3 anos depois, Noah assume o lugar de professor de Literatura numa Universidade. É graças a esse trabalho que os destinos dele e de Juliette Le Gail (Irène Jacob), uma investigadora francesa que está na cidade a verificar a autenticidade de um documento, se cruzam.

Allison, completamente transtornada com todo o processo, entrega Joanie a Cole e interna-se voluntariamente num centro psiquiatrico. Quando regressa, 3 anos depois, tenta recuperar a confiança dele para voltar a ter a guarda da filha. Quem não acha piada à situação é Luisa (Catalina Sandino Moreno), a esposa de Cole.

Já Helen assume um relacionamento com o Dr. Vik Ullah (Omar Mettwally), o médico que operou Martin (Jake Siciliano). Mas depressa a situação começa a desmoronar-se entre os dois por causa da constante preocupação dela com Noah, cuja saúde mental se vai degradando ao longo da temporada graças às alucinações que ele tem com Gunther (Brendar Fraser), guarda na cadeia onde Noah cumpriu a sua sentença.

Gotham Temporada 2

Umas breves notas antes de ir ao tema do post. A temporada 3, intitulada Mad City (só vai haver resumo quando acabar a temporada), está ao rubro. Um vírus raivoso, ligações improváveis, ciúmes... O verdadeiro pratinho cheio.

Mas falando da temporada 2, foi transmitida entre 2015 e 2016 e foi dividida em duas fases.

ojp3gouwmjuag5zchj39-e1437731982115

Com a aparente morte de Fish Mooney, Oswald "Penguin" Cobblepot auto-intitula-se o Rei de Gotham. O terror espalha-se pela cidade, principalmente porque Arkham foi tomada de assalto pelos irmão Galavan, Theo (James Frain) e Thabita (Jessica Lucas), e os loucos mais perigosos da cidade andam à solta. O plano de Galavan é aparecer como o salvador da cidade, o homem que vai repôr a segurança e colocar os loucos de volta em Arkham. Mas há um motivo oculto nas acções de Galavan. A sua família tem um ódio visceral de séculos pela família Wayne e cabe-lhe a ele acabar com a linhagem ao matar Bruce.

Entretanto Bruce com a ajuda de Albert (Sean Pertwee), o mordomo, vai à procura de respostas sobre a morte dos pais e mais tarde sobre as empresas da família. 

gotham-wrath-of-the-villains

No fim de Rise of the Villains, Gordon consegue matar Galavan que entretanto tinha raptado Bruce. Usando da informação do ódio que Cobblepot tinha por Galavan por ele lhe ter morto a mãe, Gordon consegue que as culpas caiam sobre Penguin e este acaba preso em Arkham. E é neste lugar de malucos que aparece uma nova personagem forte da série, o Dr. Hugo Strange (BD Wong) e a sua assistente, a Mrs. Peabody (Tonya Pinkins). Usando a sua influência como director do manicómio, consegue manter em segredo o seu projecto paralelo. Nas catacumbas de Arkham, Strange mantém verdadeiros monstros, pessoas a quem foram dadas capacidades que não tinham, misturas de animais com pessoas. O projeto chama-se Indian Hill, um nome que Bruce descobre mais tarde estar ligado à empresa da família e que o põe a questionar-se se os valores dos pais não teriam sido de algum modo corrompidos.