Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

This Is Me in a Nuttshell

... que é como quem diz, esta aqui sou eu. Rodeada de livros, com música nos ouvidos, com cinema ou séries no ecrã da TV ou Youtube no computador. Não é difícil me fazer feliz. Bem vindos :)

The Normal Heart

Dezembro 04, 2016

thenormalheart_poster

 Realizador: Ryan Murphy

(adaptação da peça de Larry Kramer de 1985)

Ano: 2014

 

Em 1981, uma estranha doença começa a tomar estranhas proporções. Por só atingir pessoas homossexuais, os jornais começam a referir-se àquilo que hoje chamamos SIDA como o "cancro gay". Mas é quando a morte bate à porta do círculo de amigos de Ned Weeks (Mark Ruffallo), este toma uma posição e procura respostas. A primeira é contactar a Dra. Emma Brookner (Julia Roberts), uma especialista que estava a estudar o impacto do problema. Com as respostas que recebeu, Ned cria a Gay Men's Health Crisis com Bruce Niles (Taylor Kitsch), Tommy Boatwright (Jim Parsons), Mickey Marcus (Joe Mantello), entre outros. Mas cedo percebeu que a sua luta só teria visibilidade se involvesse a imprensa. E é nesse contexto que Ned se volta a cruzar com Felix Turner (Matt Bomer).

Um filme que tem a chancela da HBO, o que faz com que seja pesadinho e politicamente incorreto. Mas a mensagem é poderosíssima. O efeito que o medo do desconhecido pode provocar nas pessoas é devastador. A dura realidade de quem luta por uma causa quando não é ouvido ou não é levado a sério. E no que toca ao elenco, são interpretações brilhantes. O Jim Parsons e o Joe Mantello, por exemplo, já tinham interpretado a peça original (Parsons com a mesma personagem, Mantello com uma personagem diferente) e protagonizam no filme duas cenas marcantes. Mas o meu destaque vai para o Matt Bomer. A prestação na personagem, a transformação dramática (ele perdeu quase 20 kg) ao longo do filme para mostrar os efeitos da doença são um murro no estômago. O trabalho neste filme rendeu-lhe um Globo de Ouro em 2015.

Parafraseando a Ellen Degeneres no seu programa: "É difícil de ver mas é importante que se veja".

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.